Lidar

 

Em 2005, o grupo fundou a empresa Digimapas do Chile, e iniciou a suas atividades LiDAR no Chile, utilizando simultaneamente duas câmeras digitais em combinação com um sistema de mapeamento a laser de alta resolução projetado especialmente para o monitoramento florestal e sistemas de gestão.


Objetivo principal da pesquisa foi a estimativa do conteúdo biomassa em cerca 7.000.000 hectares de florestas montanhosas. E apenas 5 anos de operação, toda a área foi fotografada em resolução espacial de 25 centímetros (RGB, Laser). Os produtos gerados como mosaico de imagens, modelo de elevação e mapas representam a base de dados de mais alta resolução disponível no país.


Esta base de dados é a única fonte cartográfica precisa que permaneceu após o terrível terremoto de 2010. Os modelos de elevação e imagens são intensamente utilizados como referência para o deslocamento de terrenos, análises de deformação, determinação de áreas de risco sendo uma fonte de planejamento indispensável para equipes de resgate e reconstrução.


Após a longa experiência no mercado chileno, em 2010, a Digimapas /Fototerra introduziu o sistema LiDAR de última geração (400 MHz, full wave) no Brasil.